Você já presenciou um adulto gritar ou brigar com uma criança quando ela começa a fazer birra? Na maioria dos casos, o resultado dessa interação é uma criança chorando ainda mais alto, e um adulto ainda mais estressado com a situação. Mas então, como lidar com a birra? Veja esses cinco passos práticos para resolver de uma vez o problema.

Como lidar com a birra usando a ciência

É claro que um escândalo de criança não é fácil, ainda mais se você tiver outras obrigações naquele momento. Mas, existem estratégias científicas para fazer essa “crise” de choro passar mais rápido, sem que todo mundo fique ainda mais estressado com a gritaria. Leia essas dicas de como lidar com as birras.

1. Lembre-se que você é o adulto e acalme-se

Acalme-se antes de tentar acalmar a criança. Se você está estressado, é óbvio que você não vai conseguir lidar com aquela situação com calma. Então, primeiro, você precisa ser o adulto da relação, e se acalmar.

Papo científico: Assim como nosso corpo amadurece com a idade, nosso cérebro também. Nosso corpo já nasce completo, com os braços, por exemplo. Mas, ao longo do tempo, ele vai desenvolvendo, mudando de forma, tamanho e força. O mesmo acontece com o nosso cérebro.
A parte mais primitiva, relacionada às funções básicas, já nasce com a gente, mas outras partes ainda não estão prontas. Elas ainda vão desenvolver enquanto somos bebês e crianças. É como se fosse uma casa, com todas as lâmpadas já instaladas, mais ainda não foi passado o fio de energia para a eletricidade chegar até essas lâmpadas. Então, se você tem mais idade que a criança, você provavelmente já tem todas essas áreas desenvolvidas. É hora de usá-las para regular suas emoções, já que a criança às vezes não consegue fazer isso, biologicamente falando.

2. Tente conseguir a atenção da criança

Dificilmente você vai conseguir acalmar essa criança se você não puder se comunicar com ela. Nessa hora, vale você usar o que você já sabe que funciona com ela, mas ajuda muito se você se abaixar até a altura dela e tocá-la com calma e gentileza. Essa, com certeza, é a parte mais difícil e provavelmente a que vai levar mais tempo. Mas, se você convive com a criança há bastante tempo, você vai saber exatamente o que pode ajudar.

Papo científico: Abraços, palavras e toques carinhoso são muito efetivos para ajudar a criança a suprir a falta daquelas ligações cerebrais mencionadas. É como se você ajudasse a criança a criar essa ponte entre razão e emoção que, naquele momento, ela não sabe criar sozinha.

3. Mostre empatia

Uma vez conquistada a atenção da criança, não invalide o que ela está sentindo. Por mais que pra você o choro pareça totalmente sem sentido, para ela, é um desafio que ela está enfrentando. Dentro da capacidade que tem hoje, ela não está conseguindo lidar com aquele problema.

Nenhuma pessoa se torna emocionalmente mais forte se você gritar para ela ser mais forte. Talvez ela se torne insensível, mas isso não tem nada a ver com equilíbrio emocional e a real capacidade de lidar com os problemas. Então mostre que ela tem total liberdade para chorar, e que você é capaz de compreender a dificuldade dela.

infográfico sobre como lidar com a birra

4. Ajude a criança a encontrar o real motivo da birra

Um dia, minha sobrinha bateu o joelho na mesa, e começou a chorar descontroladamente. Dava pra perceber que a força da batida não era compatível com o tamanho do escândalo. Então, depois de acalmá-la, conversamos do porque ela estava chorando tanto. Ela mesma chegou à conclusão de que era porque ela estava muito cansada, porque tinha feito muita lição naquele dia. O ideal é que você faça perguntas abertas, para que a criança realmente reflita . Você pode perguntar a ela, por exemplo, se está com algum desconforto no corpinho dela, se precisa descansar, enfim, o que você sentir que pode estar relacionado com o motivo da birra.

Importante: Nunca diga à criança os motivos pelo qual ela está fazendo birra. Faça perguntas para que ela perceba o problema, seja ele fome, sono, cansaço. Caso você imponha o motivo, a chance dela discordar de você e começar uma nova birra é grande. Mas, se ela chegar à conclusão sozinha, além de tudo ser mais tranquilo, vai ser uma oportunidade para aprender a entender melhor o próprio corpo. Você estará dando a ela uma enorme oportunidade de autoconhecimento.

5. Ajude a criança a aprender a regular as emoções

Após passado o caos, é hora de realmente ensinar essa criança a lidar com aquele problema. Se o motivo real do choro for cansaço, por exemplo, você pode deitar com ela e mostrar como as coisas estão mais calmas agora que ela pode descansar e dormir. Se o motivo for fome, ao comer, você pode mostrar como isso está ajudando ela a se acalmar.

O ideal é que a criança perceba que, da próxima vez, ela pode ouvir o próprio corpinho antes de fazer birra. Agora, se o motivo que vocês encontraram juntos for algo mais relacionado às emoções, como se sentir sozinha, achar que não tem amigos, você pode sempre ajudá-la a enxergar as coisas boas, ou montarem juntos, estratégias para resolver o problema.

Lembrete especial: Nós sabemos que você está dando o seu melhor e que o processo de educação às vezes é bem difícil. Mesmo com toda a técnica e todo o amor do mundo, às vezes a paciência acaba. E está tudo bem, desde que, depois de passado o momento, você se lembre que, da próxima vez, você pode ser melhor, você pode tentar de outra maneira. E acima de tudo, lembre que a criança é uma pessoa que merece tanto respeito quanto eu ou você.

Saiba mais sobre como lidar com a birra

Quer saber mais sobre como lidar com a birra dos seus filhos? Você pode ler esse artigo sobre funções executivas. E, se quiser se aprofundar ainda mais, leia esse livro: Whole Brain Child, de Daniel Siegel.

Saiba mais sobre quem escreve.

Gostou do nosso conteúdo? Coloque seu e-mail abaixo e receba, semanalmente, dicas exclusivas no seu e-mail.

One Comment

  1. Pingback: Inteligência emocional: é possível ensiná-la às crianças? - Layah

Deixe um comentário